Collor sugere ações conjuntas para ajudar a combater violência contra a mulher

18 abril 2013
Comentários: 0
Categoria: Notícias
18 abril 2013, Comentários: 0

A violência contra a mulher tem sido uma das preocupações do senador Fernando Collor. Em pronunciamento feito no Senador Federal – quando das manifestações alusivas ao Dia Internacional da Mulher (8 de março) – ele chamou a atenção para a situação de Alagoas, que ocupa o segundo lugar em homicídios contra mulheres.

collor_in-e1366903687184

Collor critica o governo do Estado pela “lentidão e desleixo” na adoção de medidas eficazes para modificar esse quadro e diz que tomou a iniciativa de encaminhar ofício à ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, propondo a adoção de gestões, em conjunto com o governo do Estado, para atenuar esse quadro.

Essa parceria, segundo o ofício protocolado no dia 20 de fevereiro, no gabinete da ministra, seria no sentido de garantir a instalação de Núcleos de Atendimento e novas delegacias especializadas em todos os municípios pólos de Alagoas, levando ações efetivas a todas as regiões alagoanas, de forma a proporcionar assistência às mulheres vítimas de violência.

No documento, o senador lembra que em junho de 2012, quando a Comissão Parlamentar Mista que investiga a violência contra as mulheres – cuja relatora é a senadora Ana Rita (PT-ES) – foi constatada a falta de estrutura física, material e de pessoal para um atendimento adequado, mesmos nas três delegacias da mulher que existem no Estado – duas em Maceió e uma em Arapiraca.

Lembrou também que durante audiência pública realizada pela comissão, na Assembleia Legislativa, o governo do Estado prometeu que ainda naquele semestre estariam sendo entregues os Núcleos de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência nos municípios de Maragogi, São Miguel dos Campos e Delmiro Gouveia. Mas até agora, quase um ano depois, eles ainda não entraram em funcionamento.

Dura realidade

Alagoas se posiciona como o segundo Estado do Brasil onde mais se matam mulheres, segundo os dados atualizados do Mapa da Violência – produzido pelo Instituto Sangari/Ministério da Justiça.

“Os números de ocorrências graves contra as mulheres são preocupantes, e têm aumentado. É preciso uma ação enérgica do governo. Os núcleos de atendimento que deveriam ter sido implantados, não o foram. A senadora Ana Rita, relatora da CPMI, visitou uma das delegacias em Maceió e encontrou-a fechada por causa da crônica falta de efetivo policial, carimbo indelével desses dois mandatos do governador Teotonio Vilela, que já se notabilizou em usar, a passos de cágado, a caneta conferida pelo povo. Nesse governo é tudo sem pressa, como se nossa terra não reclamasse urgência nas atitudes de seu governante, criticou ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>