Collor rasga documento com dados falsos e manda devolver ao DNIT

9 maio 2013
Comentários: 0
9 maio 2013, Comentários: 0
Collor rasga documento com dados falsos e manda devolver ao DNIT (Foto:   Agência Senado)

Collor rasga documento com dados falsos e manda devolver ao DNIT (Foto: Agência Senado)

Indignado com a constatação de que o relatório encaminhado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) à Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado, sobre a situação das obras em rodovias federais, o senador Fernando Collor (PTB-AL) rasgou o documento, alegando que a comissão não aceitaria as mentiras que ali constavam.
Ele ainda mandou que um servidor da CI colocasse os pedaços dos papéis rasgados em um envelope e encaminhasse de volta para o diretor do Dnit. “Nós, integrantes desta comissão, não podemos aceitar informações falseadas. Temos é que rasgar isso aqui e devolver para o diretor-geral do Dnit, para que ele tome providências”, esbravejou Collor.

O relatório encaminhado pelo Dnit, sobre o cumprimento dos prazos assumidos perante a CI pelo diretor-geral do órgão e com informações sobre a situação das obras nas rodovias, estava sendo lido durante a reunião desta quarta-feira, pelo senador alagoano, que é presidente da Comissão. Mas a leitura foi interrompida pelos senadores Acir Gurgacz e Valdir Raupp, ambos de Rondônia, contestando os dados sobre a BR-364, naquele estado.

No relatório, o Dnit informava que as obras naquela rodovia tinham recomeçado na última semana de abril. No entanto, os senadores informaram que estiveram no canteiro da obra há poucos dias, e que ela continuava parada.

A informação provocou a indignação do presidente da comissão, que não só rasgou o relatório, como também aproveitou o momento para criticar duramente o que classificou de “exagero” de técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU), em decidir pela paralisação de obras e redução dos valores estabelecidos em licitações.

Ele citou o exemplo da BR-101 em Pernambuco, paralisada pelo TCU, que teria mandado repactuar o valor de R$ 142 milhões para R$ 133 milhões. A empresa, como informou o presidente da CI, não aceitou a correção e rescindiu o contrato. Nova licitação foi realizada e, segundo o senador, a proposta mínima apresentada foi de R$ 182 milhões.

“Esse TCU tem que colaborar. Esses técnicos do TCU também: prepotentes, incompetentes, inexperientes, ficam criando dificuldades as mais extravagantes e o pior é que, em nome da boa execução financeira da obra, e não é! As obras que estão paralisadas acabam, tendo o preço duplicado, triplicado, no final”, disse Collor.

Diligência

Por conta das informações consideradas falsas, a Comissão de Infraestrutura aprovou, ainda na manhã desta quarta-feira, um requerimento dos senadores de Rondônia – Acir Gurgacz (PDT), Ivo Cassol (PP) e Valdir Raupp (PMDB) – para a realização de diligência, na próxima segunda-feira (13), na BR 364, em Rondônia.

A diligência será feita por integrantes da CI, acompanhados do diretor-geral do Dnit, Jorge Fraxe.

 

Fonte: Gazetaweb, com assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *